terça-feira, 15 de abril de 2014

Arte da Vila Madalena nas suas belezas e balanços

Pelas ruas e encantos da Vila Madalena, a arte se depara com todas as ladeiras e descidas do bairro que é conhecido pelas noites de sexta-feira de festa e alegria nos barzinhos da Rua Aspicuelta.

Mas em volta, e até mesmo ao lado, os ateliês dos artistas mostram sua característica principal em demonstrar e surpreender o publico com tamanha genialidade e inovação em peças e desenhos, cabíveis de um dia especial só para serem apreciados e conferidos.

Nos dias 12 e 13 de abril de 2014, ocorreu no bairro a “Arte da Vila Madalena”, evento que num único dia demonstra tudo que está guardado ali naquele pequeno bairro, mas com grande capacidade de encantamento de quem vê e vivencia esse dia.
Dia em os ateliês abrem as portas e deixam entrar todo o conhecimento e inocência de um público que aprende a ver o bairro de outra forma. Entre os vários ateliês visitados, andados e conferidos, sem dúvida sempre existe um que lhe chama mais atenção, e quando o nome da rua já sugere o que vem por ali, torna o passeio ainda mais lúdico e surpreendente.

Rua Purpurina, ali se encontra o Espaço do Papel. Nome sugestivo para um lugar tão nostálgico e ao mesmo tempo simpático. É viver por alguns minutos ou até mesmo horas aquele incrível sonho infantil de morar numa casa de árvore. Uma arquitetura impecável, e cada olhar para canto diferente uma nova surpresa. Desde uma casa de Jõao de Barro á um aquário acoplado na parede. E quando você acha que as novidades acabaram, descobre que pela noite o lugar se transforma e se torna uma pizzaria.



Subindo a ladeira e chegando a Rua Fidalga, encontra o que seria para muitos a pessoa que construiu a infância e entendeu todos aqueles pensamentos felizes da imaginação infantil. Lu Grecco, a cenógrafa do Castelo Rá Tim Bum, cria uma carga criativa e inovadora em sua mente a cada conversa e história contada sobre o que um dia foi um dos seus maiores projetos.

Para terminar, a arte literalmente salta aos olhos no espaço que o nome demonstra toda a característica do local. Espaço Amor. Longe do “centro”, mas perto daquilo que pode se tornar tudo simples e inteligente. A coisa que mais se escuta é “Nossa” do publico que usa o óculos 3D e vê os quadros saírem o plano. No finalzinho da tarde, você volta para o Metrô e tenta entender se tudo aquilo foi verdade ou não para um único mesmo dia. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário